A máfia da blogosfera
01
Jul 08
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 14:51link do post | comentar | ver comentários (1)
Dispensa apresentações. É um fantástico livro com uma história empolgante, quase impossível de largar. Sem pontuações exageradas, Saramago consegue que compreendamos tudo e mais, que adoremos aquilo que compreendemos. E se de repente, todos cegássemos?
Tag:

23
Jun 08
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 09:08link do post | comentar
O Atiçador de Wittgenstein, de David Edmonds e John Eidinow (Temas de Debates)

É um fabuloso livro! Vou mais ou menos a meio e não consigo largá-lo. Uma história gira, uma óptima panorâmica do que era a vida nos meios intelectuais do século XX, óptimas biografias tanto de Wittgenstein como de Popper. Um livro excelente para este tempo de Verão. Recomendo.
Tag:

15
Jun 08
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 21:52link do post | comentar | ver comentários (3)
Fui hoje ao último dia da Feira do Livro de Lisboa. Tão cedo não esqueço.

Tudo começou com um Metropolitano estragado, parado, que me fez ir a pé desde a Baixa/Chiado até ao Parque Eduardo VII. Quando entrei vi, com tristeza, um ecrã gigante no mesmo sítio daquele bazar de conhecimento. Que contraste! T-shirts e cachecóis de um lado, óculos e cachimbos do outro. Mas a partir daí tudo foi gáudio e alegria.

Banquinhas bonitinhas, coloridas, a abarrotar de páginas à espera de ser lidas a preços sedutores. Numa volta - numa das muitas - pela feira, comprei O Atiçador de Wittgenstein por uns amáveis 7€. Quando estava numa das outras voltas uma coluninha faz-se ouvir, oiço na mesma frase "José Saramago", "autógrafos" e "Espaço LeYa". Corro. Pego num Ensaio Sobre a Cegueira, o qual andava desejoso por ler. Depois, desilusão. A fila tinha fechado, o autógrafo do esquerdino Nobel ia ter de ficar para o ano... Talvez para os outros, eu não saía dali sem um autógrafo bem autografado na segunda página do meu mais recente livro. Fui à fila e pedi à última rapariga se o podia levar para autografar. "Não faça isso!". Era o segurança. "Mas é o Saramago!" retorqui. Depois de 2 minutos de conversa o afável senhor lá fechou os olhos à minha prevaricação. Alegria! Tinha uma obra-prima da literatura portuguesa, em desacordo com o acordo do qual discordo, e com um autógrafo de uma das mais emblemáticas figuras do século XX para toda a humanidade. Assim terminou a minha visita ao mais maravilhoso evento da nossa bela praiazinha.

Para o ano, lá estarei, o livro autografado será A Viagem do Elefante ou O Envagelho Segundo Jesus Cristo, quem sabe? Decerto virei para casa com mais uma segunda página assinada.


P.S.: Caro Al Kantara, quando passei pela banca das Edições Avante vi o livro que me recomendou e considerei seriamente comprá-lo, não o fiz, talvez o compre na Festa do Avante em Setembro. Aposto que é do máximo interesse.

12
Jun 08
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 14:55link do post | comentar
O post do De Rerum Natura sobre O Segredo deu-me a ideia de falar um pouco sobre o que é "ler" na nossa sociedade. É extraordinário como os nossos best-sellers se resumem a livros sobre Carolina Salgado, Cristiano Ronaldo ou pseudo-ciência (como a d' O Segredo). Muito sinceramente sempre me recusei a ler qualquer um destes livros, são, na minha opinião uma ofensa àquilo que eu tomo como literatura. O mal disto tudo é que ainda há editoras que à procura do dinheiro fácil publicam aquilo que nem de livro devia ser chamado e deixam às portas de ser escritor óptimos potenciais. Seria interessante imaginar Kafka a escrever na actualidade, com 400 volumes vendidos teria sido completamente abandonado por qualquer Leya ou Presença ou o que for! Ao mesmo tempo, deixam matar árvores para publicar puro lixo!
Tag:

arquivo do blogue
2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar