A máfia da blogosfera
06
Ago 09
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 18:32link do post | comentar

 

E aqui, em representação da minha outra casa, junto do João Villalobos fui falar um pedaço com Francisco Louçã. Hands still shaking.


1. Bem eu não. Mas as barreiras legais existem por algum motivo. Imagina o cenário do mercado farmaceutico?

2. É uma ilusão? Em que te baseias para chegar a essa conclusão? Quanto à URSS é um péssimo exemplo! Os BC's para funcionarem correctamente têm de ser independentes do poder politico, na URSS era tudo do Estado! Mas é um optimo exemplo de como a auto-regulação não funciona nem se tudo for estatal!

3. Tiago, eu ainda compreendia essa afirmação se fosse à um ano atrás. Agora acreditar nisso é um acto de fé! Os Bancos nos USA foram salvos com o dinheiro de quem? Já a proposta do BE faz todo o sentido se a tivesses ouvido com atenção, não se põe em causa a saude financeira da CGD, a questão é a de poder introduzir concorrência onde ela não existe.

4. Gestão danosa: actos de gestão que através de actos ilicitos, omissão de informação ou negligência (entre outros) provoquem diminuições patrimoniais quer no patrimonio interno da empresa ou de outros.

Mas sobre este ultimo ponto acrescentaria também outra coisa, bastava-me que existisse a garantia que as empresas pagam todas as suas obrigações sempre...

Stran a 7 de Agosto de 2009 às 17:19

Stran, a discussão não está a produzir resultados. Tenho pena, mas é a verdade. Tu não me consegues convencer e eu também não te consigo convencer.

Sinteticamente:

1. Os bancos centrais não conseguem evitar coisa nenhuma. As coisas não se podem tentar controlar antes porque é simplesmente impossível. A menos que tivessemos um Big Brother.

2. Eu achei mal os bancos serem salvos, em primeiro lugar. E a proposta do BE não faz sentido nenhum, porque põe-se, e muito, em causa a saúde financeira da Caixa, mesmo que o BE diga que não. Um banco que está constantemente living on the edge acaba a cair ao rio. A banca portuguesa aguentou-se muito por causa da sua cautela. Se achas legítimo que um governo decida simplesmente utilizar o dinheiro de todos para gerir um sector da economia, é contigo. Isso para mim é um atentado ao mais elementar que pode haver. E até me faz confusão viver num país onde as pessoas acham isto «natural» e «recomendável», desculpa o desabafo.

Para mim está a produzir e obviamente não se trata de convencer mas expôr argumentos.

1. Basicamente e simplificando és conta o cinto de segurança obrigatório porque os acidentes acontecem com ou sem cinto de segurança.

2. Neste ponto só consigo conceber que tu aches mal os bancos serem salvos se não souberes o que é risco sitémico e não tiveres em linha de conta as consequências do mesmo. Da ultima vez que numa situação desta as pessoas também acharam que não se devia ter sido salvo empresas duas bombas atómicas acabaram por ser despoletadas no Japão. E quanto ao BE, como te disse não ouviste bem o que o Louçã disse (raios o video está aqui), não tem nada a ver com estar constantemente "living on the edge". E caso não estejas recordado a banca portuguesa salvou-se porque o Estado deu uma garantia, se não tivesse interferido neste momento não havia banca para ser elogiada.

E para mim "estranho" é que se viva num país onde as pessoas desvalorizam a importância do parlamento.

P.S. "Se achas legítimo que um governo decida simplesmente utilizar o dinheiro de todos para gerir um sector da economia..." Isto não corresponde ao que á proposta do Louçã.

P.S. 2 Acabei de ouvir o Teixeira dos Santos no Sudoeste na Sic Radical. Devo dizer: Teixeira dos Santos a 1º Ministro!!!! :)
Stran a 7 de Agosto de 2009 às 23:33

arquivo do blogue
2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar