A máfia da blogosfera
30
Jun 09
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 11:08link do post | comentar

No Prós e Contras de ontem ouvi algo que não esperava ouvir. É certo que se esperava a cartilha costumeira dos sindicalistas e os paninhos quentes dos seus opositores, com excepção de Armindo Monteiro, mas aquilo que ouvi da boca de Júlio Gomes no fim da sua intervenção - sim, porque o meio teve muito que se lhe diga - foi de uma coragem e lucidez raras.

A critica mais que certeira à falta de legitimidade democrática dos sindicatos para intervirem na criação de legislação laboral era necessária há muito tempo. Num Estado de Direito, a lei é criada e discutida na Assembleia da República. É lá que estão os legítimos representantes do povo e não nos sindicatos. O diálogo com os sindicatos é, as mais das vezes, uma multiplicação da importância de pequenos partidos que não receberam o voto dos eleitores e que se querem colocar em bicos de pés para decidirem aquilo que não podem, ou pelo menos, não deveriam poder decidir. É imperativo que a chachada do diálogo com os parceiros sociais acabe quando se fala em legislação e que os sindicatos deixem de fazer lei. Não podem, não têm esse direito e de cada vez que o fazem, dão uma machadada no regime. Colocam mais um prego no caixão da democracia portuguesa.


Stran,

Não foste assim tão provocador =)

Eu não defendo uma governação autista. Há aqui dois planos: um de consulta (penso até que deveria haver uma câmara corporativa, coisa para discutir depois) para saber opinião, nova perspectiva, e outro de decisão. O problema é que a decisão é sempre tomada com a pressão dos agentes, sejam os empresários sejam os trabalhadores, o que leva a que não haja propriamente um produto legal coerente e igualitário, mas sim um molho de cedências em troca de calmia nas ruas. Esta pressão que os sindicatos fazem é anti-democrática na minha opinião. Dizer: ou é assim ou metemos milhares nas ruas é uma imposição inaceitável. O governo e a própria Assembleia devem escutar para ponderar, mas é apenas isso, porque para decidir realmente já lá estão os eleitos do povo e é a esses que cabe a função.

Não há nenhuma lei que no seu todo tenha sido feita por um sindicato, mas a concertação leva a que os sindicatos produzam artigos, segundo o que o próprio Júlio Gomes (jurista e especialista nesta matéria) disse.

"O problema é que a decisão é sempre tomada com a pressão dos agentes..."

Mas eu chamo a isso incompetência pessoal. O problema não está no modelo (pois o que existe faz o que tu defendes) mas sim nas pessoas, não só nos politicos, mas em ti e em mim que passamos o tempo sentados atrás do computador em vez de participarmos activamente na politica.

Quanto à força dos sindicatos ela não é total ou mesmo muito elevada. As pessoas não são estupidas e se tu lhes explicares o teu ponto de vista eles aceitarão a tua opinião se ela for a mais correcta.

E olha que eu sei disto por exepriência pessoal!
Stran a 3 de Julho de 2009 às 22:31

P.S. Não foi provocatória? Raios estou a perder o meu dom :D
Stran a 3 de Julho de 2009 às 22:32

arquivo do blogue
2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar