A máfia da blogosfera
30
Mai 09
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 12:54link do post | comentar

Comprei o i. Todos os sábados o faço porque não perco as crónicas do João Carlos Espada e a revista do Pedro Rolo Duarte. Folheando, dando uma primeira vista de olhos, interesso-me pela entrevista de Manuela Moura Guedes, pela secção Europeias do Radar e pelos artigos da Helena Roseta e do Rui Ramos, mais do do segundo que do da primeira, apesar de as diferenças de fundo não serem assim tantas. Depois deparo-me com uma das piores coisas que já tenho lido em jornais: um Quiz, qual revista Bravo, com o título "Serei de esquerda ou de direita?". O autor, creditado pelo facto de ser professor universitário de Teoria Política, é João Cardoso Rosas. O questionário é vergonhoso. Destaque para algumas questões:

 

"Salazar foi um grande homem e merece toda a nossa consideração"

Concordar inteiramente com a afirmação é considerado ser de direita. Discordar inteiramente é ser de esquerda.

 

"Tudo indica que Sócrates tem culpas no caso Freeport"

Concordar inteiramente com a afirmação é considerado ser de direita. Discordar inteiramente é ser de esquerda.

 

"Devemos rezar todos os dias à Nossa Senhora de Fátima para que proteja Cavaco Silva"

Concordar inteiramente com a afirmação é considerado ser de direita. Discordar inteiramente é ser de esquerda.

 

"O desejo de mudança é muito importante; é o que faz progredir o mundo"

Concordar inteiramente com isto é ser de esquerda. Discordar é ser de direita.

 

"Vamos construir o mundo de todas as cores, multicultural e miscigenado"

Concordar inteiramente é sr de esquerda. Discordar é ser de direita.

 

Numa coisa tão simples como um questionário tonto desdes é-nos dado mais um excelente exemplo da mentalidade pequenina que domina Portugal. Do lado da esquerda está a virtude, a moralidade, o respeito pela democracia. Do lado da direita está o racismo, a religiosidade beata, a reacção e o desrespeito pela liberdade. E o mais brilhante: considerar que um suspeito de um caso judicial pode ser culpado é ser de direita, sendo o oposto um exemplo de esquerdismo.

Repitam comigo, ad aeternum, como faziam as ovelhinhas no Animal Farm: esquerda bom, direita mau.


Compreendo que as pessoas sintam emoções em política. Aliás, há provavelmente bases afectivas para defendermos determinadas causas. Mas sei o que quer dizer e concordo: "a esquerda é boa e a direita má". Conheço gente, no meu curso de direito (sublinhe-se o curso, onde supostamente as pessoas são mais politicamente esclarecidas), que chega à conclusão de que é do PS porque a esquerda "se preocupa com as pessoas".
E não há argumentos meus que se consigam sobrepor a tamanha verdade inquestionável. Ser de direita é ser execrável e desumano. Os de direita são aqueles tipos que não querem saber dos outros, que não têm ética.
E ponto final: o resto é tudo treta. São só palavras desenquadradas; porque a verdade está lá dentro, entranhada, e essa verdade é que "a esquerda é boa e a direita é má". Suponho que não haja nada a fazer quanto a isto.

PS: também me recordo das reacções a um famoso sketch dos Gato Fedorento, em que um Marx ressuscitado perguntava a José Sócrates se era mesmo de esquerda. Toda a gente achou muita piada, ninguém questionou a questão ou o "questionador". A esquerda é, mais do que a mainstream portuguesa, uma enorme qualidade.
Maverick47 a 31 de Maio de 2009 às 00:20

arquivo do blogue
2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar