A máfia da blogosfera
12
Ago 08
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 20:11link do post | comentar
Valha-nos São Sarko que do alto da presidência europeia resolve os conflitos e as disputas mundo fora. O problema é quando tudo fica pela metade ou menos e de resolução se vê pouco. Sim, é verdade que houve um entendimento entre Sarkozy e Medvedev para que haja um cessar-fogo e para que as tropas retirem para o local onde estavam antes do início do conflito, mas se não há paz e se as tropas russas continuam na Ossétia, de que é que serve tudo isto?
Ainda para mais, o Medvedev, que é um senhor há que dizer, ainda insulta o homólogo georgiano numa atitude muito pouco pacífica e muito pouco pacifista, numa atitude de quem não tem o armistício como prioridade imediata.
No meio deste "conflito", a Geórgia vai esperando, sentada porque de pé faz doer, pela ajuda de quem ajudar não quer: o Ocidente, essa massa de terra e mar que ninguém sabe onde começa e onde acaba, mas de que todos falam como se soubessem. O Ocidente que não tem nada a ver com o assunto, mantém-se onde deve estar: na audiência. A Geórgia foi precipitada, lançou-se de cabeça para uma guerra perdida quando não tinha nenhuma aliança no verdadeiro sentido da palavra, apenas algumas amizades que lhe permitiam ser chamada "o país mais ocidentalizado do Cáucaso". Malogrado Saakashvili que tem de ver agora o seu povo a ser atacado e a sua nação posta em causa por uma tontice de verão, tão característica dos países ocidentais. Já vão sendo tantas...
Rezemos a São Sarko e a todos os outros para que tudo isto acabe e depressa, amén.

Adenda: A Geórgia também já aceitou a proposta de Sarkozy. Fim à vista?

Adenda, a segunda: Parece que o fim não está à vista, com o avanço das tropas russas em direcção a Tiblissi. Já nem Sarkozy nos vale!

O erro desta guerra (se é que é possivel) é que a população em geral está a encarar a Georgia como se fosse os bons da fita, e a Rússia os maus.
As coisas não são assim, obviamente. A Rússia provou e agora já não há mais margem para dúvidas, que deixou de ser o país que perdeu a Guerra Fria. Deixou de ser a "ameaça vermelha".
A Rússia é um país muito poderoso que apesar de ter mentalidades e sistema político diferente, deve ser tão respeitado ou pelo menos tão temido como os Estados Unidos. A Rússia assusta-nos tal como os Estados Unidos assustam muitos outros países. E é esta a mensagem da Rússia. Eles mandam naquela zona muito por causa dos motivos que eu enumerei no post na Câmara dos Lordes. Temos que nos adaptar a esta nova realidade.
Daniela Major a 13 de Agosto de 2008 às 20:19

arquivo do blogue
2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar