A máfia da blogosfera
09
Mai 09
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 13:39link do post | comentar

É com um comentário que, houvesse pachecos à esquerda, se apelidaria de situacionista que Maria João Avillez começa a entrevista a Manuela Ferreira Leite, publicada hoje no i. É a única coisa menos boa, verdade se diga. O trabalho fotográfico está excelente e a entrevista de três páginas inteiras foi mais esclarecedora que qualquer aparição televisiva do último ano. Com uma honestidade que salta à vista, sem jogos de palavras nem fugas, nem as promessas a que estamos habituados nas vésperas de eleições, Manuela Ferreira Leite responde a tudo e confesso que me deixou, em algumas partes, de boca aberta, nomeadamente quando Maria João Avillez lhe diz que «o país não queria, nem mais um segundo, o PSD a governá-lo» e Manuela Ferreira Leite responde simplesmente que «Não quis o Dr. Jorge Sampaio. Alguém que claramente defende a estabilidade governativa mas que derrubou uma maioria absoluta no Parlamento. Julgo que é caso único na democracia» ou quando diz, sobre um cenário de bloco central com José Sócrates que «é absolutamente inviável, porque se há pessoas diferentes no país somos eu e o Engenheiro José Sócrates. Há casamentos que à partida sabemos que não funcionam».

Mas não esqueçamos que temos aqui uma política experiente, uma pupila de Cavaco, e quando Manuela Ferreira Leite diz que não haverá crise política em cenário de maioria relativa, não o faz de forma inocente. Salvaguarda-se para o possível milagre. Jogada arriscada, principalmente vinda da número dois do último governo do PSD que, curiosamente, e a fim de ter uma maioria absoluta, se coligou com o CDS.

Tirando tudo isto, que são apenas os focos de atenção, as notícias sobre a notícia, vale muito a pena ler a entrevista no seu todo. Mais do que isso, seria um exercício muito interessante comparar esta a uma entrevista a José Sócrates e tirar daí conclusões.


arquivo do blogue
2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar