A máfia da blogosfera
30
Jan 09
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 11:37link do post | comentar

'Que se tenha o máximo de documentação - façam filmes - gravem testemunhos - porque, em algum ponto ao longo da história, algum idiota se erguerá e dirá que isto nunca aconteceu'

 

General Eisenhower

 

Nunca esta frase proferida por Eisenhower há 60 anos quando se deparou com o horror dos campos de concentração nazi foi tão pertinente como agora.

O bispo Richard Williamson, excomungado pelo Para João Paulo II em 1988, é conhecido pelas suas declarações negacionistas relativamente ao Holocausto. Segundo ele, "morreram cerca de 300.000 judeus, mas nenhum deles nas câmaras de gás". Loucos há em toda a parte e se o senhor insistia em defender o indefensável sem se basear em nada de concreto, que o fizesse longe da Igreja. Ora, sucede que Bento XVI levantou a excomunhão de Richard Williamson no passado dia 26, levantando uma onda de indignação na comunidade judaica, o que considero completamente normal. Mais grave que isso é ver outros clérigos virem em sua defesa e, pior, em defesa das suas declarações. É o caso de Floriano Abrahamowicz, que em entrevista ao La Tribuna di Treviso disse: "sei que as câmaras de gás existiram, pelo menos para desinfectar, mas não saberia dizer se elas causaram mortos ou não porque não aprofundei a questão".

Este tipo de declarações não teriam, em condições normais, importância nenhuma. Se eu fosse para a rua dizer que a gravidade não existe as pessoas não olhavam para mim mais que dois segundos. O problema é que a questão do Holocausto é forçosamente de tratamento delicado, mais não seja por ainda estarem vivas vítimas do terror nazi que viram as suas famílias morrer às mãos de quem mais não tinha contra elas a não ser ódio racial. Há questões de uma delicadeza que não permite um tratamento tão leviano como aquele que estes dois senhores lhe estão a dar. Seria interessante que Bento XVI revisse as suas opiniões.


A desonestidade contra factos históricos como a desonestidade intelectual é coisa grave. Tem consequências directas na nossa sensibilidade e organização do mundo e do passado.

Tudo fica ainda mais baço perante esse ter sido excomungado por causa de ideias indefensáveis e agora ser desexcomungado quando as mesmas ideias se mantêm.

Bizantinices.
PALAVROSSAVRVS REX a 30 de Janeiro de 2009 às 16:46

Julgo que está a cometer um erro, Tiago. A excomunhão terá acontecido por seguir o Bispo Lefévre, julgo que é assim que se escreve, não pesquisei, e não por crenças anti-semitas. Foi aliás o cardeal J. Ratzinger, que dirigia a congregação para a Doutrina de fé, o autor do processo de excomunhão, decretada por João Paulo II.
António de Almeida a 30 de Janeiro de 2009 às 17:28

Mas eu não disse que ele tinha sido excomungado por causa disso. Apenas defendo é que já que tinha sido excomungado, não lhe deveria ter sido levantada a excomunhão por causa destas declarações.

arquivo do blogue
2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar