A máfia da blogosfera
20
Dez 08
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 08:37link do post | comentar
A influência do Estado na sociedade e na economia é assustadora. Eu sei que isto já é um lugar-comum, o que acontece é que o facto de o ser não impede os abusos do costume. Falei aqui muito pouco das privatizações e dos vinte biliões da banca, até porque foram questões que surgiram numa altura em que o tempo era escasso. Agora entretenho-me a dar conta de mais um pequeno exemplo de como o governo, com esta intrusão, pode estar a destruir a economia aos poucos.
Muitas pessoas defendem afincadamente que cabe aos governos a criação e o incremento das políticas sociais: maiores ordenados, preços mais baixos, mais serviços públicos. O problema é que não se fazem omeletes sem ovos e quando estas políticas sociais são conseguidas por decreto e não através da evolução natural da economia, tudo pode acontecer. Agora decidiu-se que as empresas transportadoras não podem aumentar o preço dos transportes. Ainda dizem que este não é um Partido Socialista. Os sucessivos governos não se apercebem das machadadas que dão à economia com pequenas coisas como esta.
Se algum leitor tiver curiosidade sobre o assunto, aconselho este texto do Miguel Botelho Moniz, ali do Insurgente, que explica melhor que ninguém o impacto da fixação de preços.

Mas oh Tiago, se o combustível está a baixar de preço, porque raio haveria o preço dos transportes aumentar ? Como prenda de Natal às empresas ?...
Al Kantara a 20 de Dezembro de 2008 às 10:06

Mas oh Al, não deveria ser da liberdade das empresas estabelecer os seus preços? Se calhar nem os iam aumentar, não sabemos. Apenas sabemos que o Estado o proibiu.

E é tão simples quanto isto, se as empresas aumentassem os preços de forma assim tão absurda, nós não contrataríamos os seus serviços. Davas 1000€ por um passe social? Não. Mas 20€ já dás, o que significa que, para ti (quer dizer, não sei, estou a supor), não é incomportável. Se as empresas continuarem a aumentar e a aumentar, mais cedo ou mais tarde acontece um de dois: aparecem mais empresas para aproveitar um bocadinho do bolo (o que aumenta a concorrência e precipita a descida dos preços) ou simplesmente deixa de haver clientes o que faz com que a empresa ou vá à falência ou baixe os preços. What goes around comes around.

A solução não seria, de todo, o congelamento dos preços por decreto. Era a mesma coisa que agora se criar uma lei a dizer que tu não podias gastar mais de 10€ por mês a ir ao cinema, aceitavas? Mesmo que não gastes os 10€ por mês em cinema, aceitavas que se criasse uma lei a proibir te de o fazer?
Tiago Moreira Ramalho a 20 de Dezembro de 2008 às 10:15

arquivo do blogue
2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar