A máfia da blogosfera
18
Jun 08
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 15:54link do post | comentar
Este post do Ponta e Mola sobre a Directiva do Retorno aprovada hoje pela União Europeia fez-me pensar sobre o assunto. Eis aqui, reformulado, o comentário que deixei no blogue do amigo Al Kantara.

Uma lei de imigração forte e restritiva é essencial para o desenvolvimento de qualquer país ou região que já seja minimamente desenvolvido. Se por acaso, de um momento para o outro, houvesse total liberdade para quem quisesse entrar na UE, isso daria azo a enormes problemas económicos e sociais. Bem sei que existem imensas disparidades a nível de desenvolvimento no mundo, bem sei que é legítimo que quem vive em fracas condições tente melhorar a sua vida, no entanto, isso não pode ser através da emigração ilegal. Imaginemos que não existiam leis de imigração, quais seriam os impactos? Chegada massiva de população da África, Ásia e América Latina à Europa. Um continente sobrelotado. A economia não iria conseguir dar resposta a tanta população. Os excedentes de mão-de-obra iriam levar o desemprego a taxas nunca antes vistas e a escassez de bens a níveis de inflação como não se sente desde a Segunda Guerra Mundial. Estes dois factores juntos levariam a pobreza e, consequentemente, criminalidade. A Europa iria desmoronar-se em três tempos e tudo pela falta de zelo nas fronteiras. Isto não é racismo ou xenofobia, nem da minha parte nem da parte da União Europeia, que diga-se, é o bloco económico que, a nível mundial, mais ajudas dá aos países subdesenvolvidos. Isto é apenas uma questão de bom-senso com vista a não prejudicar centenas de milhão de pessoas apenas por serem mais desenvolvidas. Deve apenas ser autorizada imigração legalizada pois, assim, as economias terão possibilidade de "absorver" os imigrantes, os quais viverão nas mesmas condições (idealmente, como é óbvio, bem sabemos que o racismo e a xenofobia não são coisas da TV) e que, ao enviar remessas para os países de origem poderão ajudá-los. Por vezes é necessário pensar um bocadinho para perceber o que os que mandam fazem...

1º - Completamente de acordo com o controle da emigração.
2º - Completamente em desacordo com leis que, a coberto do controle da emigração não respeitem os direitos humanos (de emigrantes ou não)
3º - Ficaria mais barato percebermos que temos de investir a sério (claro que isto custa dinheiro e teríamos de estar de acordo em perdermos algumas mordomias que julgamos garantidas)no verdadeiro desenvolvimentos dos países que fornecem estes emigrantes porque mais tarde ou mais cedo, por mais ferrolhos que tenhamos à porta, eles entram-nos pela casa dentro.
Al Kantara a 18 de Junho de 2008 às 16:26

Al Kantara, se há coisa que a UE tem feito é ajudar financeiramente estes países. Não se pode é fazer milagres! Olhe o caso de Angola que saiu de uma guerra para um crescimento de 30% ao ano. Olhe as dívidas perdoadas, dinheiro sem fim! Estou completamente de acordo que é preciso desenvolver aqueles países, mas o meio para tal não é tirar os ferrolhos da porta
Tiago Moreira Ramalho a 18 de Junho de 2008 às 16:29

arquivo do blogue
2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar