A máfia da blogosfera
21
Jun 08
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 20:47link do post | comentar
Sublime a ideia do PCP que irá ser aplicada dentro em breve, tudo indica. O PCP propôs há algum tempo atrás um imposto extraordinário a aplicar sobre as empresas petrolíferas que iria ser aplicado sobre os lucros "a mais" que estas empresas tiveram devido à subida do preço dos combustíveis. É carinhosamente chamada "Taxa Robin dos Bosques". Estalinismo no seu melhor. Quando começam os planos quiquenais? Seria muito bom o governo comprar o Tarrafal de novo...

Isto é gravissimo, está a abrir-se um precendente bastante mau. Uma economia de mercado (como se pretende que a nossa seja) é regulada pela procura e pela oferta. Se algo estiver a ser feito contra a lei, aí o Estado actua. Mas lucrar ainda não vai contra a lei! O Estado não pode pegar por aí! A coisa funciona de modo muito simples: o preço de um bem consiste na quantidade de dinheiro pela qual os compradores estão dispostos a comprar e os vendedores a vender. Como, ao que parece, com estes preços, ainda ninguém deixou de comprar gasolina e as empresas ainda não perderam dinheiro (só ganharam), o preço está perfeito onde está, segundo as leis do mercado. Se pegarmos por aqui, então também temos de aplicar um imposto extraordinário à banca, porque é imoral emprestar dinheiro a quem o pede... (vá se lá saber porquê) e também aplicaríamos um tremendo imposto aos agricultores devido à subida dos preços dos cereais! Não se governa assim! O Estado deve funcionar como Estado-Providência, não como Estado Totalitário, costuma dar mau resultado pelo que se tem visto...

Compreendo, no entanto, que a situação dos combustíveis é complicada... E as pressões dos partidos populistas são muito fortes... Suposto pois que tal imposto se aplica, para que reverterá esse dinheiro? Esta é a parte mais absurda: para apoio social e tal e coiso. Ora vejamos. Um imposto é aplicado porque as empresas petrolíferas estão a lucrar muito com a especulação. Essa especulação não é coisa nossa, é coisa do mundo todo, e não se espera que diminua nos próximos anos... Por que não aplicar o dinheiro desse imposto na investigação de energias alternativas e no investimento nestas, de modo a criar uma alternativa à causa do imposto? Não sei... eles lá deverão ter uma ideia...

Na minha opinião é realmente verdade que os preços estão demasiado altos, e isso é feito por causa de um aproveitamento de oligopólio para controlar o mercado. Mas não é a aplicar impostos estúpidos que a coisa vai lá. É preciso é que seja provada a cartelização e haja processos sérios em tribunal para que o Estado (e com Estado, refiro-me, obviamente, a todos nós) seja indemnizado por ter enchido os bolsos da Galp e da BP.

Adenda: Leiam o artigo de Álvaro Santos Pereira, está brilhante, no Desmitos

Tiago

Concordo. Seria óptimo se começassemos a utilizar este tipo de impostos para incentivar energias alternativas. Não o fazemos, porque continua a não ser muito do interesse dos governos (que têm quase sempre uma visão de curto prazo).

Abraço

Alvaro
Alvaro Santos Pereira a 23 de Junho de 2008 às 19:55

arquivo do blogue
2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar