A máfia da blogosfera
24
Jul 08
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 12:27link do post | comentar

Em muitos textos deste blogue mostrei ser a favor de uma economia de mercado, de livre concorrência e na qual o Estado não interferisse muito. Mas, muitas vezes, situações extremas requerem soluções igualmente extremas.
O que acontece no mercado dos combustíveis em Portugal é inaceitável. Liberalizou-se o mercado no tempo do Durão Barroso para que houvesse mais concorrência e, portanto, preços mais competitivos. Infelizmente as contas saíram furadas, ninguém ia adivinhar que as petrolíferas de topo iriam criar um cartel que ditasse os preços com base em especulação e não com base na concorrência. Vemos, por um lado, os combustíveis aumentar, como ouvi num noticiário da SIC, quase a tempo real e, por outro lado, a não baixar quando isso se justifica. O petróleo está ao nível mais baixo das últimas sete semanas e, ainda assim, a Galp baixa o preço da gasolina nuns míseros 2 cêntimos e o gasóleo em 1.4 cêntimos. É nesta situação de controlo do mercado por parte de quem produz que penso realmente ser interessante explorar a possibilidade de criar uma petrolífera do Estado, que funcione de forma semelhante à Caixa Geral de Depósitos, de modo a que o mercado possa estabilizar, vendendo os combustíveis a preços baixos nessa gasolineira de modo a que os concorrentes comecem a baixar os preços para não perderem mercado. O ideal seria que aquelas postos de gasolina com os do Jumbo ou do Intermarché pudessem alargar-se para outras localidades ou que a pequena Repsol começasse a ser verdadeiramente concorrente da Galp e da BP, prefiro uma empresa espanhola a dominar e preços baixos que uma portuguesa com preços exurbitantes.
Continuo a achar que a coisa não vai lá com Impostos e com Taxas Robin dos Bosques, os erros do mercado com o mercado se resolvem, nem que ao mercado se tenha de dar um empurrãozinho.

arquivo do blogue
2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar