A máfia da blogosfera
12
Out 08
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 11:39link do post | comentar
Faço aqui uma recolha de textos que encontrei na blogosfera sobre a Disciplina de Voto do Partido Socialista na votação do diploma do casamento gay:

Cambada de maricas, Pedro Correia no Corta-fitas.

O Voto da Vergonha, JRV no Activismo de Sofá.

Quem prescinde da sua consciência, Daniel Oliveira no Arrastão.

A Disciplina (ou cobardia) Partidária, O Jumento n' O Jumento.

publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 11:32link do post | comentar | ver comentários (2)
Escolho para Blog Catita desta semana O Jumento. É difícil escrever todas as qualidades daquele blogue por serem tantas, mas vou tentar: uma aparência muito interessante, toda ela à volta de "burros", "celeiros" e "palheiros"; uma revista de imprensa como em poucos sítios se faz, rubricas como o "Jumento do Dia" que nos levam a visitar o sítio diariamente e ainda um trabalho excelente de recolha de imagens, que já valeram uma censura por parte do Blogger. Por estas razões e muitas outras, O Jumento é o Blog Catita da Semana.


11
Out 08
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 16:58link do post | comentar | ver comentários (4)
Estou farto, farto de andar por blogs e mais blogs a escrever as mesmas coisas nas caixas de comentários, por isso, escrevo aqui e espero que os envolvidos visitem regularmente o Technorati.
Caros membros do 31 da Armada, do Cachimbo de Magritte, do Blasfémias e de todos os blogues que se auto-intitulam de "direita conservadora", desafio-vos a escrever um post com um, um único argumento válido que demonstre que é eticamente condenável duas pessoas do mesmo sexo assinarem um contrato em que se comprometam a amar-se mutuamente. Quem tiver coragem, que aceite o desafio.

publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 16:34link do post | comentar | ver comentários (3)

«Advogando, por crença doutrinária, uma sexualidade responsável a milhões e milhões de pessoas nos cinco continentes, a igreja é a maior, mais importante e mais eficaz organização no combate ao vírus da SIDA. Muito maior e muito mais eficaz que qualquer campanha de qualquer Abraço.» (Rodrigo Moita de Deus, no 31 da Armada)


publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 14:31link do post | comentar | ver comentários (3)
Há mortes muito convenientes. Joerg Haider, o líder do partido nacionalista austríaco BZO, morreu esta madrugada num suposto acidente enquanto passeava sozinho na sua avioneta particular. Espero bem que haja uma investigação criminal isenta, na qual não sejam tidos em conta os ideais do senhor.

publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 14:23link do post | comentar | ver comentários (1)
Sarah Palin foi vista como uma refrescante brisa para a campanha de McCain quando foi escolhida: uma mulher bonita, mãe-de-família, cheia de garra no debate e que agradava à direita mais conservadora americana com as suas posições anti-aborto e pró-armas. Agora revela-se um verdadeiro tumor na campanha, um tumor que ameaça matar tudo aquilo por que passar. Primeiro vieram as gaffes e as entrevistas disparatadas, agora um escandâlo nacional: abuso de poder. Durante o seu mandato como governadora do Alasca, a mrs. Palin teve uma crise familiar: a irmã divorciou-se de forma litigiosa. Que é que esta ávida defensora da família e dos votos sagrados do casamento fez? Mexeu os cordelinhos para que o cunhado fosse despedido da polícia. Como o seu "capanga" que deveria despedir o ex-cunhado se recusou a fazê-lo, foi ele próprio despedido.
São episódios como este, juntamente com o fanatismo religioso e o discurso beligerante que me fazem, cada vez mais, apoiar Obama. Estavas melhor sozinho McCain.

10
Out 08
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 19:01link do post | comentar | ver comentários (1)
Este deveria ser assinalado como o Dia da Vergonha Nacional. Digo isto pelo simples facto de no dia de hoje ter sido dada uma machadada fortíssima na democracia e nos valores de igualdade que se supõe regerem a nossa sociedade. Hoje foi o dia da votação do diploma dos partidos PEV e Bloco sobre o casamento entre homossexuais. Os diplomas foram chumbados pela maioria do PS, PSD e CDS. Neste dia, herói só vejo Manuel Alegre que ignorou o a disciplina de voto e votou de acordo com a sua consciência. Presto-lhe aqui uma sincera homenagem.

09
Out 08
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 19:14link do post | comentar | ver comentários (1)
A Crise - Uma História Simples, JRV no Activismo de Sofá:

«Recebi há pouco por e-mail uma adaptação tuga da crise actual. O terrível desta história é que, com mais ou menos figurações, demonstra bem o quão tascosos são os mecanismos em que assentam o actual modelo económico.

"O senhor Silva tem uma tasca, na Vila Carrapato, e decide vender a fiado aos seus leais fregueses, quase todos bêbados e desempregados. Porque vende a crédito, aumenta um pouco o preço de cada copo. O gerente do banco local, ousado administrador formado em gestão e com MBA, decide que as dívidas da tasca constituem, afinal, um activo rentável, e começa a adiantar dinheiro ao estabelecimento, tendo o registo dos fiados como garantia..Uns seis executivos de bancos, mais adiante, transformam esses créditos em OVNI, SOS e outros acrónimos financeiros que ninguém sabe exactamente o que querem dizer. Esses adicionais instrumentos alavancam o mercado de capitais e conduzem a operações estruturadas de títulos na Bolsa, cujo lastro inicial todo o mundo desconhece (o tal livro de fiados do senhor Silva). Esses títulos passam a ser negociados com garantias reais em mais de 73 países..Até que alguém descobre que os bebedolas de Vila Carrapato não têm dinheiro para pagar as contas e a tasca do senhor Silva vai à falência. E toda a cadeia se desmorona."»


publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 18:01link do post | comentar
Tenho andado para aqui a escrever sobre tanta coisa séria que já fazia falta aqui um videozinho do youtube. Deixo-vos aqui um video de cartoons humorísticos que, apesar de ser uma brincadeira, encerra alguma verdade:

Tag:

08
Out 08
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 17:05link do post | comentar | ver comentários (4)
O primeiro-ministro, e por associação, o governo, decidiu reduzir para metade (sim, para metade) o IRC nos primeiros 12500€ de matéria colectável das empresas.
Esta medida surge no pacote de medidas de emergência que o governo decidiu implementar para que as pequenas/médias empresas sobrevivessem à crise. Sobre isto gostaria de deixar algumas notas.
Em primeiro lugar, as PME, na sua maioria não estão postas em risco com as oscilações bolsistas, dado o facto de, regra geral, não serem cotadas em bolsa nem terem participações relevantes noutros grandes grupos.
Em segundo lugar, a medida é correcta, mas não no seu todo. É realmente necessário que se baixem os impostos para as pessoas colectivas, de modo a que se atraia investimento e se gere emprego (é uma das estratégias utilizadas pela nossa vizinha Espanha), mas não se deve fazer isso de forma radical para algumas empresas e deixar tudo como está para outras: deveria, sim, baixar-se mas nunca tanto como se baixou (50%). Gostava de saber qual é o imposto que vai subir para que o défice não seja uma brutalidade.
Em terceiro lugar, esta medida é sintomática de uma grande necessidade de mostrar trabalho por parte deste governo. Sempre que surge qualquer crise, maior ou menor, o governo cria um pacote de medidas de emergência que, regra geral, não tem efeito relevante nenhum, apenas uma boa impressão para o eleitorado. A demagogia no seu esplendor.
É por isto que uma medida que, se calhar, em muita gente causa algum agrado, em mim suscita apenas um mais ou menos.

07
Out 08
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 23:29link do post | comentar | ver comentários (3)
Anda a dizer-se por aí que Portugal reconheceu a independência do Kosovo. Eu tenho apenas uma coisa a dizer: a mim, ninguém perguntou nada!

06
Out 08
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 22:17link do post | comentar
Renasceu o País Relativo, depois de uma paragem de algum tempo. Voltou à blogosfera de cara lavada e com mais mãos, nomeadamente, a de Tiago Barbosa Ribeiro que acabou com o Kontratempos, que, como disse no meu comentário ao novo blogue, me deixará saudades dado ter sido o primeiro blogue que acompanhei diariamente. Gosto do estilo, apesar de achar os contribuintes muito agarrados a um partido, muito mais que à própria ideologia, mas é de diversidade que precisamos e é para debater que cá estamos. Deixo-vos aqui a ligação para o Manifesto do País Relativo, um texto simplesmente hilariante. E aos relativos, os meus parabéns!

publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 21:14link do post | comentar | ver comentários (2)
O Rodrigo Moita de Deus, do 31 da Armada, escreveu para um blogue do PSD um texto sobre educação. Neste texto, de uma forma muito resumida, RMD culpa os professores pelo mau ensino praticado em Portugal. Existem algumas coisas em que tem razão, mas peca por exagerar.
É verdade que durante muitos anos em Portugal, principalmente nos primórdios da Educação Universal, se viveu um período de extrema carência de professores que permitia que pessoas com o ensino secundário pudessem dar aulas. Essas pessoas que entraram para "tapar buracos" por lá ficaram e hoje em dia, muitos dos professores mais "antigos" são dessa geração, da geração em que se era professor por ser, por oportunidade, por ocasião. Desse grupo de professores cuja idade lhes permite ver a reforma num horizonte próximo muitos há que foram para o ensino por, pura e simplesmente, ser uma profissão com emprego garantido, não por vocação propriamente dita. Mas também é verdade que tudo isso mudou. Hoje em dia já não existe o culto do "Sr. Professor", o que faz com que já ninguém vá para docente em busca de prestígio e reconhecimento. Por outro lado, a oferta é tanta que o mais provável é ir parar ao desemprego, o que afasta muitos potenciais candidatos. Ou seja, neste momento só estuda para professor quem efectivamente quer ser professor. Mas isto é apenas um ponto da vasta argumentação de RMD.
Bons e maus profissionais há em todas as profissões, é um facto inquestionável e nem vale muito a pena debruçarmo-nos sobre este tópico. O que é importante é não fazer o que muitos fazem e pegar numa parte para avaliar o todo.
RMD fala também na questão de os professores competirem com as playstations. Não vou ser atado, perdoem-me a expressão, ao ponto de levar a coisa à letra. É óbvio que foi escrito em tom de graçola de oportunidade, no entanto, há que dizer que se os alunos dão mais importância à playstation que aos professores isso acontece por dois motivos: desinteresse dos alunos e desinteresse dos pais, nunca por falta de atractividade por parte do professor.
Por fim RMD toca num ponto importante: o das manifestações (ou manifs, diz que é moderno dizer assim) e da reinvidicação de direitos por parte da "corporação" dos professores. O autor que se auto-apelida de "Escritor" escreve:

"Porque estão mais preocupados com os seus “direitos adquiridos” que com os miúdos que deviam estar a ensinar. Sim. No meio de todas estas guerras e guerrinhas os alunos e o seu direito a um ensino de qualidade é a última das preocupações.

Penso que isto é um argumento vazio: os professores não são mártires, podem adorar ensinar, mas não têm de abdicar dos direitos que têm (apesar de, pessoalmente, achar alguns absurdos) por causa dos meninos. Têm, como todo o cidadão, o direito a zelar pelos seus interesses.
Apesar de todos estes pontos, concordo numa coisa com RMD, tem de se analisar as questões de fundo e essas são as relativas à educação vinda de casa e à forma como é encarada a Escola em Portugal por parte da maior parte das famílias: um atelier de tempos livres para os adolescentes cheios de hormonas saltitantes. Quando se perceber que esta é a verdadeira base do problema, aí sim, será produtivo dissertar à grande em blogues de nomes pomposos. Até lá, não.

publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 18:08link do post | comentar
Ainda por aí muita confusão sobre umas certas declarações do ministro das Finanças.
A verdade é que os depósitos de todos nós estão assegurados (o que é um dos motivos pela falta de medo das instituições bancárias) até um limite de 25 000€ por conta, isto é, um indivíduo que tenha 100 000€ depositados, deve reparti-los por quatro bancos, não vá o diabo tecê-las. A revista Visão publica esta semana um artigo muito interessante com várias respostas a possíveis perguntas de todos nós. Mas, para já, não há motivos para grandes preocupações porque os nossos bancos não estão em grande contacto com o "vírus" que provocou a crise, o subprime. Não vamos andar a sofrer por antecipação.

publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 17:38link do post | comentar | ver comentários (1)

O novo programa dos Gato Fedorento superou todas as minhas expectativas. Foi simplesmente bombástico.
Muita gente pensou, eu incluo-me no grupo, confesso; que os Gato estavam saturados, com uma imagem que já não agradava a ninguém e que gargalhadas já puxava poucas. Este programa de estreia foi a prova do contrário. Com uma criatividade única e um talento para a comédia já inquestionável, os Gato voltam e, quer queiram quer não, com tanto ou mais poder que antes. Ou muito me engano, ou as farpas assanhadas dos Gato vão fazer muita gente pensar em muita coisa. Parabéns, pás!

05
Out 08
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 14:03link do post | comentar | ver comentários (1)
Eu começo a achar que aqueles que supostamente decidem os destinos do mundo pensam que estão num jogo, um jogo tipo Capitalismo ou coisa parecida. Eis uma novidade: não, não estão.
O plano Paulson é um maravilhoso exemplo desta falta de análise a priori. O que tem acontecido é tão-só o resultado de uma falha de mercado: os bancos estavam a arriscar demais, pois tinham sempre o estado protector pronto para os salvar no momento do aperto. Esta ideia de se poder arriscar à vontade fez com que os bancos dessem créditos sem qualquer horizonte de retorno e que se criasse, primeiro uma crise de subprime e depois uma crise em toda a Wall Street. A pior coisa que o estado pode fazer agora é dar fundamento à ideia que originou tudo isto: a de que o estado está lá para salvar os bancos que se atiram em queda-livre para a falência. O que iria acontecer sem este plano Paulson seria uma espécie de "purga", isto é, os bancos "doentes" iriam acabar para dar lugar a novos bancos que iriam saber que o excesso de risco é verdadeiramente arriscado. Agora o que vai acontecer é adiar-se indefinidamente o inevitável. E podem ter a certeza que quando esse "inevitável" acontecer, as consequências serão muito maiores que as que sairiam da crise actual.
Pela Europa, esta sombra dos EUA, quer-se fazer o mesmo, valha-nos a Alemanha que sempre é o contrapeso nestas loucuras destes supostos economistas. A Europa sofre cada vez mais uma crise de identidade, querendo copiar os EUA até nas crises. Valha-nos S. Durão!

publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 13:47link do post | comentar
Esta semana decidi atribuir o prémio Blog Catita ao Cachimbo de Magritte. Para além de todo o layout ser bastante bonito, gosto da constante pesquisa por quadros com cachimbos. Pela originalidade, e pela qualidade, tomem lá disto:


publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 13:39link do post | comentar | ver comentários (2)
Foi dia 5 de Outubro de 1910 que em Portugal o poder passou de um presente de Deus ao Rei para um presente do povo ao povo. Para o bem e para o mal, viva a República!

02
Out 08
publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 18:10link do post | comentar | ver comentários (1)
Manuel Alegre, esse não me surpreendeu: apresentou-se contra a disciplina de voto. Eis um verdadeiro socialista, eis um verdadeiro democrata. Concorde-se ou não com as suas ideias, e eu não concordo com a maior parte, é de louvar a coragem!

publicado por Tiago Moreira Ramalho, às 15:19link do post | comentar
S. Bento cada vez me surpreende mais. A surpresa desta vez veio da bancada parlamentar do PS: vai haver disciplina de voto contra votação dos diplomas propostos pelo BE e pel' Os Verdes. Isto é absolutamente vergonhoso. A bem de manter o poder mantém-se uma situação de negação de direitos fundamentais a pessoas que são apenas isso: pessoas. Mas não é só isto. A bandaca vai ainda mais longe, chegando à hipocrisia de, através do líder parlamentar, dizer que o PS é um partido plurar por abrir uma excepção nesta disciplina de voto ao ex-líder da JS. Gostava de saber o que é que o Tiago Barbosa Ribeiro ou o Miguel Abrantes têm a dizer nesta situação, gostava de saber que tipo de argumentação vão utilizar para defender o indefensável. Não queria entrar em comparações mesquinhas, mas nesta situação considerei a atitude do PSD louvável: o partido é contra, mas os deputados têm total liberdade de voto. Muito francamente, se eu fosse deputado do PS eu faltaria àquela votação. Infelizes esses que querem ditar em democracia.

arquivo do blogue
2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


pesquisar